Já aconteceu com todo mundo, (certeza que também aconteceu com você) uma ideia revolucionária surgiu em sua mente e você não quis dizer a ninguém, por motivo de medo de copiarem sua inovação!

O Lean Startup vem para desconstruir esse pensamento e mostrar que uma ideia por mais transformadora que possa parecer, algo que irá mudar o mundo, ela não valerá de nada se não for aceita pelo público.

Mas nessa hora a gente se pergunta: Como eu posso estar me certificando que o que eu pensei terá a aprovação do público?

A resposta é simples: TESTANDO!


“Startups são experiências”

Eric Ries

 

Lean Startup foi uma teoria criada pelo empreendedor norte americano Eric Ries com intuito de ajudar outros empreendedores a lançar novos produtos de sucesso no mercado.

Essa metodologia é baseada em 3 principais pilares:

Para algo ser introduzido no mercado, principalmente em no ramo tecnológico, algo deve ser construído. E na construção desta nova tecnologia, a teoria Lean preza por construir o Mínimo Produto Viável, ou seja, aquele “protótipo” sendo algo que possuirá o mínimo de funcionalidades possíveis, sendo algo simples e funcional!

Mas por que deve-se começar com esse MVP?

Começar com o mais simples, naturalmente se torna algo que custa menos para se iniciar, além disso, o que acontece em diversas ocasiões é que esse produto inicial possui várias características as quais não agregam nenhum valor para seus clientes.

O que isso significa? DINHEIRO DESPERDIÇADO!

Certo. E como podemos saber o que realmente os clientes querem?

O conceito é simples, testando e validando o que foi pensado, com esse público que é naturalmente interessado.

No começo, só existem hipóteses em relação ao produto, por exemplo:

  • Será que esse tamanho está adequado?

  • Será que com essa funcionalidade o meu produto estará confortável?

Não há como saber ao certo, se essas hipóteses são verdadeiras até chegar ao ponto chave do processo, a VALIDAÇÃO.

Através do teste do produto algumas funcionalidades são descartadas, por serem consideradas inúteis pelos clientes e outras acabam por serem validadas, e com isso, implementadas de forma fixa no produto.

A colheita dessas opiniões dos clientes se chama ciclo de feedbacks em que as pessoas que irão testar o que está sendo oferecido e assim reportar o que não gostou e o que foi aceito naquele produto.

A validação é o ponto chave do processo pois assim e somente assim, será possível criar algo que realmente será aceito pelos seus possíveis clientes. Esse é o ponto que o Lean Startup afirma com convicção, o não desperdício de dinheiro em características ou um projeto em si que o público não irá enxergar valor.

Após toda esse processo de criação e validação, é de extrema importância que tudo esteja sendo METRIFICADO, se algo dá certo é necessário saber o porquê deste fato está acontecendo. Assim como, se não houver aceitação a comprovação desta falha através de dados embasa de forma muito mais assertiva aquele erro.

A partir de toda essa metrificação, chega a terceira etapa do ciclo do Lean Startup, o APRENDIZADO. Agora deve-se buscar aprender através de dados e verificar se a maneira que está sendo seguida é a certa, ou se há a necessidade de mudar de direção e tentar novos caminhos.

“Erre, erre rápido, e acerte mais rápido ainda”

Nós, da A.C.E. Consultoria, buscamos sempre estar impulsionando nossos clientes a chegarem em outro patamar e o Lean Startup é uma maneira de estar fazendo isso acontecer. Nesta solução, conseguimos ajudar, desde micro e pequenos empreendedores até grandes empresas, a inserir um produto ou serviço no mercado de forma mais assertiva. E como citado na frase, a melhor forma de fazer isso acontecer é errando de forma rápida e acertando de forma esmagadora.