Já estamos há mais de 2 meses em Isolamento Social e durante esse período, nós da A.C.E. Consultoria, nos preocupamos em como poderíamos ajudar as empresas pernambucanas a passar por essa crise tão repentina, transmitindo conhecimento através de artigos aqui no blog e consultorias on-line. Dessa forma, auxiliamos empresas e empresários a  ressignificar seus empreendimentos por meio da remodelagem de negócio, de forma a abrir as portas dos negócios digitais.

Nosso foco não se restringiu a empresas existentes, mas também aos novos negócios que enfrentaram problemas ainda maiores ao desbravar um mercado em plena quarentena, onde a mudança brusca nos hábitos de consumo forçaram uma transformação digital do mercado em curtíssimo tempo.

Essa nova forma de empreender trouxe um mesmo desafio aos novos e antigos empresários: Como empreender em um mundo digital durante uma pandemia? Quem largou na frente, provavelmente, estava munido de informações estratégicas para guiar suas decisões.

O futuro é agora. Sem esperas e hesitações!

Diversas pesquisas de mercado e tendências atuais apontam para um ponto principal: a necessidade urgente das marcas se reinventarem e ressignificarem seus modelos de negócio, serviços, relacionamentos, comunicação e experiências para o digital.

De acordo com estudos da SmartCommerce, quase 40% dos atuais compradores online fizeram sua primeira compra em março de 2020. Segundo a pesquisa, fruto da parceria entre Engaje! Comunicação, Perception e Brazil Panels, os consumidores ficarão mais de olho na comunicação das empresas, sendo necessário um bom posicionamento da marca.

Houve também o boom das plataformas online. Os famosos tutoriais DIY (sigla inglesa para “do it yourself” ou “faça você mesmo”) estão ganhando cada vez mais terreno e  os consumidores não param de esperar cada vez mais das empresas: posicionamento, transparência, facilidade nas compras e atendimento pessoal (sim, as pessoas querem falar com pessoas e não inteligências artificiais).

Com tanta cobrança, seja do mercado, seja do consumidor, os empreendedores não podem deixar para depois. Chegou a hora de entrar no meio digital; isso parou de ser escolha e passou a ser obrigatoriedade. Uma empresa que investe em análise e inteligência de mercado já está a frente no quesito inovação e diferença quanto outras empresas.

Modelos de negócio digitais

Antes de falar sobre modelo de negócio digital, é importante que seja feito o redesign de negócio, ou seja, que a empresa faça o alinhamento  às necessidades da nova economia. Esse alinhamento é a transformação do modelo tradicional de mercado para um modelo mais organizacional, produtivo, mais responsivo às novas tendências mundiais. É aqui que entra o modelo de negócio digital.

Esse tipo de modelo são formas de negócio aplicadas ao mundo digital, aproveitando a tecnologia para melhorar os serviços e as formas de comunicação e vendas, tanto com os stakeholders quanto com os clientes.

Esses novos tipos de modelos abriram uma infinita gama de possibilidades para o mercado. Seja assinando uma plataforma interativa ou chamando um carro on-line, o setor empresarial tem em mãos formas de satisfazer os clientes e o mercado atual. E esses modelos estão em tudo hoje em dia: músicas, filmes, hospedagens, etc.

Você empreendedor pode montar seu modelo de negócio digital usando ferramentas que antes eram usadas apenas para modelos tradicionais, uma dessas ferramentas é o Business Model Canvas, como explicamos em nosso artigo sobre esse assunto. Para viabilizar a criação colaborativa e à distância temos alguns programas que ajudam nesse ponto: Sebrae Canvas, BM Canvas e Canvanizer.

Escolha o mais compatível com sua empresa

São inúmeros os tipos de modelos de negócio digitais. E cada um deles tem uma função, então o primordial é encontrar o que mais se enquadre ao seu negócio. Aqui, iremos apresentar os mais utilizados no mercado:

  • Marketplace

Praticamente todas as pessoas que já fizeram uma compra on-line utilizaram esse modelo de negócio. Ele está inserido na rotina do consumidor, com inúmeras variedades de produtos e serviços ofertados. Promove uma interação entre diferentes parceiros em um mercado multi-lados. Exemplos de empresas nesse sistema são a Amazon, Americanas e Magazine Luiza.

  • Peer To Peer

O modelo Peer To Peer (p2p) coloca 2 partes em contato através de uma transação, seja em produtos ou serviços. É necessário que existam os dois lados, pois um não funciona sem o outro. As empresas estão muito atentas ao mercado, pois o objetivo é cobrir necessidades que outras empresas não oferecem, criando a demanda ao mesmo tempo. Exemplos de negócios que usam esse modelo são os famosos Uber, LinkedIn e Airbnb.

  • Freemium

Nesse modelo, é oferecido ao cliente diversos produtos básicos gratuitos com serviços pagos. Geralmente a empresa disponibiliza funcionalidades gratuitas, mas melhorias que agregam ao serviço são pagas, como contas “premium” ou “VIP”. Exemplos de empresas nesse modelo são o Skype, Dropbox e o jogo CandyCrush.

  • Assinatura

Esse modelo é o queridinho da economia em que vivemos. Esse é muito poderoso por ter algumas vantagens:

  • Base de cliente fixa por determinado tempo;
  • Fluxo contínuo de receita previsível, no momento em que assinantes pagam antecipadamente;
  • Quanto ao planejamento de negócios, esse sistema oferece uma visão ampla das necessidades da empresa;

Empresas que abraçaram esse sistema foram Netflix, Spotify e Amazon Prime. Entretanto é necessário investir muito para manter o “atrativo” aos olhos do cliente.

  • Isca e Anzol

É um modelo que “obriga” o consumidor a adquirir o produto, independente do valor, por estar atrelado ao seu uso. Consiste em oferecer um produto básico a um preço muito baixo, geralmente em promoções (Cafeteira, Impressora, etc.) e depois cobrar preços excessivos pelas recargas. Gera uma fidelização do cliente, que precisa comprar os produtos com certa frequência. Exemplos de empresas nesse sistema são a Gillette, Epson, HP e Nespresso.

Como falado anteriormente, existem inúmeros tipos de modelos de negócio digitais, esses citados acima são apenas alguns dos usados pelas empresas mais conhecidas, mas ainda temos e-commerce, delivery (rappi e ifood), vouchers, prestação de serviços online (consultorias, mentorias, cursos e capacitações EaD, etc.), código aberto (open source), etc.

Opções não faltam, então escolha o modelo que mais se encaixe em sua empresa, trabalhe em uma boa análise e inteligência de mercado, trace estratégias e entre no mundo digital, pois aqui está o futuro e o futuro é agora.

Sugestão de leituras complementares da ACE

Novos hábitos e tendências de mercado pós-pandemia: o ano em que o consumo mudou

Do pequeno se faz o grande: como as micro e pequenas empresas podem salvar o País

Inteligência de mercado: como entender os impactos do cenário da empresa diante de crises

Gestão Financeira: como passar pela crise sem perder sua empresa

Gestão de crises: como cuidar da saúde do seu negócio em tempos difíceis

Como encantar e fidelizar clientes no varejo

Além do nosso e-book Gestão de crise: planejamento e inovação para superar a crise.

Nós da A.C.E. Consultoria continuamos comprometidos com a gestão de crise das empresas no cenário pernambucano. Estamos buscando formas de como ajudar você empreendedor a passar por esse período complicado. Qualquer dúvida entre em contato conosco, estaremos à disposição para ajudar sua empresa sempre que precisar.